domingo, 6 de maio de 2018


Em algum momento da sua vida você já questionou Deus? Achou que Ele estivesse esquecido dos seus sonhos? “Por que a demora, Senhor?” ou “O que fiz de errado para o Senhor não realizar meu sonho?” Entenda os “porquês” pelos quais Deus ainda não realizou os desejos do seu coração, mas creia: há um motivo especial!
O texto de Samuel 1 nos fala de uma mulher que tinha um sonho. Ana era uma pessoa piedosa e amava a Deus. Era casada com Elcana, mas havia um vazio em sua vida: Ana era estéril. Na sua cultura, a esterilidade era uma maldição, uma vergonha.
Quantas vezes, querido leitor, você também já passou por situações que não entendeu? Ou que ainda não entende? O que fazer? Murmurar, como a maioria faz? Jogar a culpa nos familiares? Se irar?! Com certeza não… Ana orou! Ela apresentou ao Senhor o seu sonho.
Mas por que Ana era estéril? Por que seu sonho de ser mãe estava sendo adiado? Por que foi vitimada por uma doença incurável? A doença de Ana não era provocada por um pecado que ela teria cometido; também não se originava de alguma maldição hereditária, muito menos resultado de ação satânica. O texto bíblico é claro em afirmar que Deus a deixou estéril (1 Sm 1:5) e que o próprio Senhor a cerrou a madre (v.6).
Isso mesmo, o próprio Senhor a cerrou a madre. “Mas Mari, que Deus malvado! Como Ele pôde fazer isso com Ana? Uma mulher temerosa a Ele…” Exato! Deus sabe o que faz. Por ela ser uma mulher fiel a Ele, Ele queria lhe proporcionar o melhor. Deus já havia ouvido a oração de Ana e agiria no Seu tempo, o tempo perfeito! Muitos hoje pensam equivocadamente que toda doença tem procedência maligna. No caso de Ana, o próprio Deus a fez estéril. Mas por que? Deus não é sádico, Ele não tem prazer em ver os seus filhos sofrendo, pois sempre tem o melhor para nós. Então por que Ele adia a realização dos nossos sonhos?

1) Para que compreendamos que o Deus das bênçãos é melhor do que as bênçãos de Deus.

Sonhos não realizados, desejos não satisfeitos, via de regra, nos levam à presença de Deus. O sofrimento não é um bem em si mesmo, mas Deus trabalha em nossa vida de tal forma que o sofrimento se transforma em bem para nós. O sofrimento não é um fim de si mesmo. Ele é pedagógico, tem um propósito positivo. As tribulações produzem paciência e a paciência deságua numa profunda experiência com Deus (Rm 5:3-5). Devemos, por isso, nos alegrar ao atravessar por várias provações (Tg 1:2), pois elas nos tornam quebrantados, humildes e dependentes do Deus Todo-Poderoso, mostrando-nos que a nossa maior necessidade não é de coisas, mas de Deus.
Vejamos um exemplo: Se eu não tenho um coração inteiro para Deus, não O sirvo com alegria, não O exulto nas situações (independentes se boas ou ruins), não O reconheço como o Deus provedor, por que Ele teria que atender a todas as minhas súplicas?! Deus é misericordioso, porém mais que isso: Ele é justo! Não foi à toa que Ele nos deu o livre arbítrio. Ele poderia ter criado robôs ao invés de seres humanos com alma capacitados a fazer escolhas. Contudo, Ele nos fez para que pudéssemos escolhe-Lo!
Muitas vezes Ele não nos atende porque esquecemos a quem servimos. Priorizamos o que Ele pode nos dar e nos esquecemos do Deus das bênçãos. Apesar da difícil situação, Ana priorizou o seu Deus! Ela fez um voto ao Senhor (v. 11a), se derramou diante Dele e tocou na necessidade do seu Deus.

2) Para que reconheçamos que os sonhos de Deus são maiores do que os nossos sonhos.

O sonho de Ana era muito pequeno. Suas aspirações não eram suficientemente ousadas. Ela queria apenas ver o seu ventre transformando-se em um cenário de vida. Ela aspirava gerar uma criança, carregar um filho no colo. Mas Deus não realizou o sonho de Ana no seu tempo porque tinha algo maior para fazer em sua vida. Os pensamentos de Deus são mais elevados do que os nossos pensamentos! Os sonhos de Deus são maiores do que os nossos sonhos! O sonho de Deus para Ana não era apenas que ela fosse mãe, mas mãe do maior profeta daquela geração. Samuel seria o grande instrumento que Deus usaria para ungir Saul como o primeiro rei de Israel e Davi.
Mesmo quando você sente que as coisas perderam o rumo, Ele está no controle de toda a situação. Tudo há um tempo determinado pelo Pai (Ec 3:1).  Ele sabe exatamente o que você tem passado, Ele é um Deus que sonda os corações (Rm 8:27). Ele jamais te faria filho(a) Dele para te fazer passar vergonha, entretanto o mundo prega a rapidez nas decisões, mas nós como filhos de Deus precisamos manter comunhão com Ele e aguardar sem murmurar. Isso é uma virtude!
Vejamos o exemplo de José: sofreu desprezo, ódio dos seus irmãos, foi jogado vivo na cova, foi vendido como mercadoria barata, foi injustiçado pela patroa e pelo copeiro-mor de Faraó e ainda ficou na prisão por dois anos. Mas por que Deus deixaria uma pessoa inocente “mofar” na cadeia? Será que Deus é tão injusto assim?! Contudo, se José tivesse saído da prisão pela ajuda do copeiro-mor, o máximo que ele teria conseguido na vida seria trabalhar como lavador de copos no palácio de Faraó. Deus o deixou mais dois anos na prisão para tirá-lo de lá e torná-lo governador do Egito.
Querido leitor, os sonhos de Deus são perfeitos! Jamais se perdem nas curvas do caminho, existe um tempo para o cumprimento de todo propósito debaixo do céu (Ec 3:1b). Ele já tem o melhor para você, entretanto Ele anela ouvir da sua boca os desejos do seu coração. Não apenas haja: “Ahh!! Deus sabe do que preciso, nem vou orar então!!” Não é bem assim… Precisamos orar, confessar tudo aquilo que tem nos tirado a paz. Lembremos desse versículo:
“O homem que teme ao Senhor, ele o instruirá no caminho que deve escolher. A intimidade do Senhor é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança.” Salmos 25:12,14
Que privilégio é contar nossos sonhos e desejos ao Senhor! Nossas súplicas precisam ser regadas pela chuva da esperança e aspergidos pelo orvalho da fé. Precisamos crer (Rm 4:18), romper em fé e não desistir. O nosso Deus não é colecionador de derrotas, mas campeão invicto em todas as batalhas e Ele já nos deu a vitória. Lembre-se: Ele trabalha por nós, está com toda a nossa vida em Suas mãos. Ele pode todas as coisas. Se somos parceiros de Deus, devemos ter grandes sonhos. Se caminhamos com Deus, nossa jornada será vitoriosa. Se você deseja ver os seus sonhos realizados, creia nas promessas de Deus! Não desanime se Deus ainda não concretizou seus sonhos. O melhor está por vir! Ó Senhor Jesus!
“Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras jamais passarão.” Mt 24:35
“Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo.” (Ec 3:11a)
Texto inspirado no livro: Não desista dos seus sonhos, de Hernandes Dias Lopes

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Edital do Concurso da Polícia Militar

Edital de Concurso Polícia Civil PC BA 2018 tem 1.000 vagas e salários de até R$ 11.389,96!
VUNESP tem a responsabilidade do concurso, que oferece oportunidades para Delegados, Escrivães e Investigadores
Por Saulo Moreira. Atualizado em 19/01/2018 17:26
FacebookWhatsAppTwitterGoogle+Copy Link
Foi divulgado no Diário Oficial na manhã desta sexta-feira, 19 de janeiro, o edital de concurso da Polícia Civil do Estado da Bahia (Concurso PC BA 2018) para o preenchimento de nada menos que 1.000 vagas. As oportunidades são destinadas aos cargos de Delegado de Polícia (82), Investigador de Polícia (880) e Escrivão de Polícia (38). A Fundação VUNESP tem a responsabilidade do certame.
De acordo com o edital de concurso PC-BA 2018, 30% serão reservadas aos negros e 5% aos portadores de necessidades especiais, conforme disposto no quadro a seguir.
http://noticiasconcursos.com.br/wp-content/uploads/2018/01/vagas-pc-ba.png
Sobre os cargos do Concurso PC BA 2018
Delegado de Polícia
Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão do curso de bacharelado em Direito, reconhecido pelo Ministério da Educação – MEC.
Atribuições: instaurar e presidir inquéritos policiais, formalizar o termo circunstanciado de ocorrência e outros procedimentos legais, instrumentos e atos oficiais, no âmbito de sua competência; exercer as atribuições previstas na legislação processual penal da competência da autoridade policial; planejar, dirigir, supervisionar e fiscalizar as atividades de investigação dos servidores policiais civis; planejar, dirigir, supervisionar, fiscalizar e avaliar as atividades operacionais e administrativas do órgão ou unidade policial sob sua direção; no curso de procedimentos, compete-lhe: expedir ordens de serviço, intimações e requisitar condução coercitiva, em caso de descumprimento injustificado; comparecer ao local de crime e requisitar a realização de exames periciais necessários para o esclarecimento do fato; representar pela instauração de incidente de sanidade mental do indiciado; representar à autoridade judiciária pela decretação de medidas cautelares, reais ou pessoais, ou ainda, quaisquer modalidades de prisões provisórias e pela concessão de mandados de busca e apreensão; solicitar, fundamentadamente, informações e documentos a entidades públicas e privadas; requisitar serviços e técnicos especializados de órgãos públicos, de concessionárias e permissionárias de serviço público, para esclarecimento de questões que possam subsidiar a apuração de infrações penais; dirigir e supervisionar operacionalmente, com exclusividade, a atividade de investigação criminal e o exercício da polícia judiciária, exceto quando relacionadas à matéria sob jurisdição militar; assegurar, no âmbito de sua competência, a unidade da investigação policial, bem como a eficácia dos princípios institucionais da Polícia Civil; adotar medidas necessárias ou participar de programas e operações, com vistas à prevenção, repressão e controle da criminalidade; proceder a estudos, levantamentos e análises de ocorrências policiais e criminais, visando à criação e ao desenvolvimento de programas, métodos, técnicas e rotinas do trabalho policial; participar de estudos e pesquisas de natureza técnica ou especializada sobre administração policial; prestar assessoramento em assuntos relacionados com a segurança pública e com a administração policial; zelar pela incolumidade dos presos.
Jornada de Trabalho: 30 horas semanais.
Investigador de Polícia
Requisitos: Diploma de conclusão de curso superior, devidamente registrado no Ministério da Educação – MEC, bem como Carteira Nacional de Habilitação (CNH) válida, categoria “B”, no mínimo.
Atribuições: proceder à investigação criminal e ao exercício de Polícia Judiciária, exceto quando relacionadas à matéria sob jurisdição militar; participar do planejamento, coordenação, supervisão e fiscalização das atividades operacionais e administrativas do setor sob sua direção; participar de levantamento de local de crime e interagir na execução de atividade investigativa; zelar pela incolumidade de preso; cumprir diligências, mandados e outras determinações de autoridades policiais e/ou judiciárias competentes, sendo responsável pela produção de dados, informações e conhecimentos; participar de estudos, projetos e pesquisas de natureza técnica ou especializada sobre ciências criminais, inteligência policial e estatísticas de crimes; efetuar prisões e busca pessoal, para fins de apuração de infração penal; participar de programas e operações de prevenção, repressão, controle da criminalidade, reconstituição e de ações de inteligência policial; executar tarefas de fiscalização de estabelecimentos de hospedagem, diversões públicas, teatros, cinemas, esportes e produtos controlados pela Polícia Civil, sendo-lhe assegurado o livre acesso aos locais fiscalizados; adotar providências sobre qualquer ocorrência policial de que tiver conhecimento, dando ciência imediata à autoridade competente; elaborar os relatórios de investigação criminal, conforme expedição de ordem de serviço; executar as ações necessárias para segurança das investigações; executar em trabalho de equipe operações de resgate de reféns; exercer assessoramento especializado e superior no âmbito da estrutura da Polícia Civil do Estado da Bahia; participar de estudos e pesquisas de natureza técnico-científica ou especializada sobre administração policial; alimentar e pesquisar, nos arquivos físicos e eletrônicos, dados sobre a identificação de pessoas; dirigir viatura em missão de natureza policial; coordenar e supervisionar a investigação criminal e a atividade de polícia judiciária, exceto quando relacionada à matéria sob jurisdição militar, e desde que no exercício da função de coordenação do setor de investigação.
Jornada de Trabalho: 30 horas semanais.
Escrivão de Polícia
Requisitos: Diploma de conclusão de curso superior, devidamente registrado no Ministério da Educação – MEC, bem como Carteira Nacional de Habilitação (CNH) válida, categoria “B”, no mínimo.
Atribuições: lavrar os atos de inquéritos policiais, termos circunstanciados de ocorrência e outros procedimentos legais, contribuindo na gestão de dados, informações e conhecimentos; expedir, mediante requerimento de interessado e despacho da autoridade policial, certidões e translados; zelar pela guarda de papéis, documentos, procedimentos, armas e munições sob sua responsabilidade e de objetos e instrumentos apreendidos vinculados aos inquéritos policiais, termos circunstanciados e outros procedimentos legais; ter a guarda e responsabilidade, mantendo atualizada a escrituração em livros e/ou banco de dados; emitir guia de recolhimento, quando legalmente autorizado e determinado por autoridade policial; preencher planilhas de controle de inquéritos, processos e boletins; acompanhar a autoridade policial, quando necessário ao exercício funcional; prestar assessoramento especializado e superior no âmbito da estrutura da Polícia Civil do Estado da Bahia; expedir guias para exames periciais; escrever, subscrever e lavrar atos e termos e demais peças de procedimentos penais ou administrativos.
Jornada de Trabalho: 30 horas semanais.
Salários do Concurso PC BA 2018
Para o cargo de Delegado de Polícia a remuneração inicial é constituída pelo vencimento básico no valor de R$ 4.374,97 (quatro mil, trezentos e setenta e quatro reais e noventa e sete centavos), acrescido de Gratificação de Atividade Judiciária (GAJ I), equivalente a R$ 412,71 (quatrocentos e doze reais e setenta e um centavos), podendo ser acrescida de outras vantagens em razão da submissão à jornada de trabalho de 40 horas semanais, hipótese em que a remuneração poderá atingir o valor de R$ 11.389,96 (onze mil, trezentos e oitenta e nove reais e noventa e seis centavos).
Para os cargos de Investigador de Polícia e de Escrivão de Polícia a remuneração inicial é constituída pelo vencimento básico no valor de R$ 1.074,34 (mil setenta e quatro reais e trinta e quatro centavos), acrescido de Gratificação de Atividade de Polícia Judiciária (GAPJ I), equivalente a R$ 925,38 (novecentos e vinte e cinco reais e trinta e oito centavos), podendo ser acrescida de outras vantagens em razão da submissão à jornada de trabalho de 40 horas semanais, hipótese em que a remuneração poderá atingir o valor de R$ 3.915,85 (três mil, novecentos e quinze reais e oitenta e cinco centavos).
Inscrição Concurso PC BA 2018
Os interessados em concorrer a uma das vagas poderão se inscrever entre 10 horas do dia 1º de fevereiro de 2018 e 23 horas e 59 minutos do dia 02 de março de 2018, no endereço eletrônico oficial da organizadora do concurso (www.vunesp.com.br). A taxa de inscrição custará:
R$ 160,00 (cento e sessenta reais) para o cargo de Delegado de Polícia; e
R$ 140,00 (cento e quarenta reais) para os cargos de Investigador de Polícia e de Escrivão de Polícia.
Etapas do Concurso PC BA 2018
concurso da Polícia Civil da Bahia 2018 será composto por:
a) 1ª Etapa: Provas Objetivas para todos os candidatos inscritos, de caráter eliminatório e classificatório, sob a responsabilidade da Fundação VUNESP.
b) 2ª Etapa: Prova Discursiva para todos os candidatos inscritos, de caráter eliminatório e classificatório, realizada juntamente com as Provas Objetivas, sob a responsabilidade da Fundação VUNESP.
c) 3ª Etapa: Exame Biomédico, de caráter eliminatório, aplicada para todos os candidatos habilitados na 2ª Etapa: Prova Discursiva, sob a responsabilidade da Fundação VUNESP.
d) 4ª Etapa: Teste de Aptidão Física, de caráter eliminatório, aplicada a todos os candidatos aptos na 3ª Etapa: Exame Biomédico, sob a responsabilidade da Fundação VUNESP.
e) 5ª Etapa: Exame Psicotécnico, de caráter eliminatório, aplicada a todos os candidatos aptos na 4ª Etapa: Teste de Aptidão Física, sob a responsabilidade da Fundação VUNESP.
f) 6ª Etapa: Prova de Títulos, de caráter classificatório, aplicada a todos os candidatos habilitados na 5ª Etapa: Exame Psicotécnico, sob a responsabilidade da Fundação VUNESP.
g) 7ª Etapa: Investigação Social e de Conduta Pessoal – de caráter eliminatório, realizada durante todo o certame até a nomeação do candidato, sob a responsabilidade da Polícia Civil do Estado da Bahia – PC/BA.
http://noticiasconcursos.com.br/wp-content/uploads/2017/11/bannertop728nc2.png
Provas do Concurso PC BA 2018
Todas as etapas do concurso da Polícia Civil da Bahia 2018 serão realizadas na cidade de Salvador (BA). As provas objetivas e discursivas estão previstas para serem aplicadas no dia 22 de abril de 2018, no turno da manhã. Os locais de provas serão divulgados a partir do dia 10 de abril. Os gabaritos preliminares serão divulgados no dia 23 de abril de 2018. O resultado provisório está previsto para ser divulgado no dia 25 de maio de 2018.
Caso o número de candidatos inscritos exceda à oferta de lugares adequados na cidade de Salvador/BA, a Fundação VUNESP se reserva ao direito de alocá-los em cidades próximas à determinada para aplicação das provas, não assumindo qualquer responsabilidade quanto ao transporte e alojamento desses candidatos.
prova objetiva de Delegado contará com questões de Língua Portuguesa, Informática, Raciocínio Lógico, Atualidades, Promoção de Igualdade e Gênero, Medicina Legal, Noções de Administração, Leis Específicas, Direito Penal, Direito Processual Penal, Legislação Penal e Processual Penal Extravagante, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Civil / Empresarial, Direito Processual Civil, Noções de Direito Eleitoral, Noções de Direito Agrário, Direito Tributário, Direito Ambiental e Criminologia.
Já a prova objetiva de Investigador de Polícia contará com temas de Língua Portuguesa, Informática, Raciocínio Lógico, Atualidades, Promoção de Igualdade e Gênero, Medicina Legal, Noções de Administração, Leis Específicas, Noções de Direito Penal, Noções de Direito Processual Penal, Legislação Penal Extravagante, Noções de Direito Constitucional e Noções de Direito Administrativo.
Por fim, a prova objetiva de Escrivão de Polícia abordará questões de Língua Portuguesa, Informática, Raciocínio Lógico, Atualidades, Promoção de Igualdade e Gênero, Medicina Legal, Noções de Administração, Leis Específicas, Noções de Direito Penal, Noções de Direito Processual Penal, Legislação Penal Extravagante, Noções de Direito Constitucional, Noções de Direito Administrativo, Noções de Estatística e Noções de Arquivologia.
Critérios – Prova Objetiva
As Provas Objetivas de Conhecimentos Gerais e de Conhecimentos Específicos terão caráter eliminatório e classificatório e serão avaliadas na escala de 0 (zero) a 100,00 (cem) pontos. Será considerado habilitado nas Provas Objetivas o candidato que, cumulativamente, obtiver na soma dos pontos nota igual ou superior a 70,00 (setenta) pontos.
Os candidatos habilitados nas Provas Objetivas serão classificados em ordem decrescente de nota, em 03 (três) listas, por cargo, sendo uma com a relação de todos os candidatos habilitados, uma apenas com os candidatos negros habilitados e outra apenas com os candidatos com deficiência habilitados.
Critérios – Prova Discursiva
A Prova Discursiva será aplicada no mesmo dia e período das Provas Objetivas. Somente será corrigidas as Provas Discursivas dos candidatos habilitados e melhores classificados na 1ª Etapa: Provas Objetivas, até o limite de 1,5 (um e meio) vezes o número de vagas previstas por cargo, incluindo os empatados na última posição, ficando os demais candidatos reprovados e excluídos do Concurso Público para todos os efeitos.
Dentre os candidatos que concorrerem às vagas reservadas a candidatos negros, serão corrigidas as Provas Discursivas dos candidatos habilitados e melhores classificados na 1ª Etapa: Provas Objetivas, na forma prevista no edital, até o limite de 1,5 (um e meio) vezes o número de vagas reservadas previstas neste Edital por cargo, incluindo os empatados na última posição e desconsiderados os candidatos enquadrados no edital, ficando os demais candidatos reprovados e excluídos do Concurso Público para todos os efeitos.
Dentre os candidatos que concorrerem às vagas reservadas a candidatos com deficiência, serão corrigidas as Provas Discursivas dos candidatos habilitados e melhores classificados na 1ª Etapa: Provas Objetivas, na forma prevista no edital, até o limite de 1,5 (um e meio) vezes o número de vagas reservadas previstas neste Edital por cargo, incluindo os empatados na última posição, e desconsiderados os candidatos enquadrados no subitem do edital, ficando os demais candidatos reprovados e excluídos do Concurso Público para todos os efeitos.
Informações do concurso
·         Concurso: Polícia Civil da Bahia
·         Banca organizadora: Vunesp
·         Escolaridade: superior
·         Número de vagas: 1.000
·         Remuneração: até R$11mil
·         Inscrições: entre 01 de fevereiro e 02 de março
·         Taxa de Inscrição: entre R$140,00 e R$160,00
·         Provas: 22 de abril de 2018
·         Situação: PUBLICADO


Reportagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...