Pages

domingo, 20 de julho de 2014

Estudo da partícula SE


Feriu-se com a faca.

Precisa-se de professor.

André machucou-se.

Os cachorros feriram-se uns aos outros.

Os alunos riram-se.

Estarei aqui bem cedo, se tudo der certo.

Ele sempre tem um SE antes de qualquer resposta.

- Você quer ganhar um carro? - Se quero!

Se” – Função sintática


A partícula se pode assumir diversas funções em relação à função sintática que desempenha.

1. Índice de indeterminação do sujeito.


Ocorre quando o sujeito da oração é indeterminado por essa partícula e aparece em orações com verbos transitivos indiretos ou intransitivos. Neste tipo de oração é inadmissível a voz passiva e o sujeito sempre aparecerá na terceira pessoa do singular.

Exemplos:

Contrata-se um manobrista.
Fala-se muito, pouco se faz.

2. Partícula apassivadora


Ocorre em orações com a voz passiva sintética, com verbos transitivos diretos e transitivos diretos e indiretos.

Exemplo:

Vendem-se carros novos e usados aqui. (Carros novos e usados são vendidos aqui.)

3. Partícula expletiva


O se não apresenta nenhuma função sintática, sendo desnecessário para compreender a oração. Ocorre na presença de verbos intransitivos ou que deem noção de movimento ou atitudes do homem em relação ao próprio corpo.

Exemplos:

Gabriela achou melhor sentar-se logo.
Ele resolveu alistar-se.

4. Parte integrante do verbo


Aparece em verbos pronominais, isto é, verbos que se conjugam obrigatoriamente com pronomes oblíquos (indignar-se, queixar-se, suicidar-se, arrepender-se).

Exemplos:

Os pais orgulharam-se ao saber da aprovação da filha no vestibular.
Ela não conseguia arrepender-se pelas palavras proferidas.

5. Sujeito de infinitivo


Tem a função de sujeito ao aparecer junto a auxiliares causativos (deixar, mandar e fazer etc.) e sensitivos (ouvir, ver, sentir etc.), geralmente seguidos de objeto direto na oração reduzida.

Exemplo:

Sentia-se fraquejar sem ele por perto.

6. Objeto direto


Ocorre quando acompanha verbos transitivos diretos com sujeito animados. Dica: pode ser substituído pelo termo a que faz referência.

Exemplo:

A menina se maquiava bem. (A menina maquiava a própria menina bem.)

7. Objeto indireto


Ocorre quando acompanha verbos transitivos indiretos com sujeito animado, entretanto, ao ser substituído pelo termo a que se refere, necessita de preposição.

Exemplo:

Carlos se obrigou a uma difícil tarefa. (Carlos obrigou ao próprio Carlos uma difícil tarefa.)

“Se” – Função morfológica


Agora pretende-se expor quais são as classificações do “se” a partir de sua função morfológica. Assim, segundo a classe gramatical, o se pode ser classificado em:

1. Pronome oblíquo reflexivo


Quando tiver valor equivalente a si mesmo, neste caso pode ser substituído por outro pronome oblíquo, como me, te, nos.

Exemplo:

Ela se preparou para a apresentação. (Ela preparou a si mesma para a apresentação.)

2. Pronome reflexivo oblíquo


Quando indicar uma ação praticada por um sujeito que afeta ao outro elemento, neste caso pode ser substituído por um ao outro, uns aos outros.

Exemplo:

Amaram-se profundamente. (Amaram um ao outro profundamente.)

3. Conjunção subordinativa integrante


Quando iniciar uma oração subordinada substantiva. Neste caso, para identificá-lo, substitua-o por isso, isto, aquilo.

Exemplo:

Diga-me se assim é melhor para você. (Diga-me isto.)

4. Conjunção subordinativa condicional ou causal


Quando iniciar uma oração subordinada substantiva que indique condição. Tente substituir o se por caso.

Exemplo:

Se você não comer tudo, não comerá a sobremesa. (Caso você não coma tudo, não comerá a sobremesa.)

Quando iniciar uma oração subordinada substantiva que indique causa. Tente substituir o se por porque, visto que, vê que, já que.

Exemplo:

Se ele não quer viajar agora, deixe-o. (Já que ele não quer viajar agora, deixe-o.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O artigo foi útil? Deixe um comentário, uma sugestão contribua. Obrigado!

Reportagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...